JSON Simples e Prático, Parte I

Fala pessoal!

Esta semana percebi que muitos ainda não conhecem ou continuam na dúvida sobre o que é JSON e resolvi contribuir com mais um artigo.

Afinal, o que é JSON?
JSON é basicamente um formato leve de troca de informações/dados entre sistemas. Mas JSON significa JavaScript Object Notation, ou seja, só posso usar com JavaScript correto? Na verdade não e alguns ainda caem nesta armadilha.

O JSON além de ser um formato leve para troca de dados é também muito simples de ler. Mas quando dizemos que algo é simples, é interessante compará-lo com algo mais complexo para entendermos tal simplicidade não é? Neste caso podemos comparar o JSON com o formato XML.

Vamos visualizar esta diferença?

  <?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
    <id>1</id>
    <nome>Alexandre Gama</nome>
    <endereco>R. Qualquer</endereco>
  {"id":1,"nome":"Alexandre Gama", "endereco":"R. Qualquer"}

Bom, é notável a diferença. Visualmente o segundo trecho (em JSON) é mais fácil de ler. Mas só existe essa diferença entre os dois? Na verdade não. Podemos listar algumas outras vantagens:

Vantagens do JSON:
- Leitura mais simples

- Analisador(parsing) mais fácil

- JSON suporta objetos! Sim, ele é tipado!

- Velocidade maior na execução e transporte de dados

- Arquivo com tamanho reduzido

- Quem utiliza? Google, Facebook, Yahoo!, Twitter…

Estas são algumas das vantagens apresentadas pelo JSON. Agora vamos ao que interessa: Código! :)
Vamos fazer um exemplo extremamente simples nesta primeira parte e avançaremos no próximo artigo, inclusive falando sobre JSON em páginas Web.

Qual biblioteca usar?
Existem diversas bibliotecas para trabalharmos com JSON e Java. Usaremos no nosso estudo o json.jar que você pode baixar tranquilamente neste link

O nosso caso de estudo será simples: Teremos uma classe Carro que será a nossa classe POJO e a classe EstudoJSON que terá o nosso famoso método main.

Classe Carro

package br.com.json;

public class Carro {
	private Long id;
	private String modelo;
	private String placa;

	public Long getId() {
		return id;
	}
	public void setId(Long id) {
		this.id = id;
	}
	public String getModelo() {
		return modelo;
	}
	public void setModelo(String modelo) {
		this.modelo = modelo;
	}
	public String getPlaca() {
		return placa;
	}
	public void setPlaca(String placa) {
		this.placa = placa;
	}

        //Aqui fizemos o Override do método toString() para visualizar a impressão com o System.out.println()
	@Override
	public String toString() {
		return "[id=" + id + ", modelo=" + modelo + ", placa=" + placa
				+ "]";
	}

}

Esta é uma classe simples, onde temos os atributos Id, Modelo e Placa.

Agora teremos a classe EstudoJSON

package br.com.json;

import org.json.JSONArray;
import org.json.JSONException;
import org.json.JSONObject;

public class EstudoJSON {
	public static void main(String[] args) throws JSONException {
		adicaoSimplesDeDados();
	}
}

Repare que criamos o método adicaoSimplesDeDados() que conterá o código de exemplo:

private static void adicaoSimplesDeDados() throws JSONException {
    //Criação do objeto carro e atribuição dos valores
	Carro carro = new Carro();
	carro.setId(1l);
	carro.setModelo("Celta");
	carro.setPlaca("AAA1234");

    //Criação do objeto carroJson
	JSONObject carroJson = new JSONObject();
    //Inserção dos valores do carro no objeto JSON
	carroJson.put("id", carro.getId());
	carroJson.put("Modelo", carro.getModelo());
	carroJson.put("Placa", carro.getPlaca());

    //Impressão do objeto JSON
	System.out.println(carroJson);
}

Se executarmos este código, veremos que foi impresso no console o seguinte:

{"id":1,"Modelo":"Celta","Placa":"AAA1234"}

Você desenvolvedor mais atento vai reparar que existe um objeto impresso: Um Long! Isso mesmo! Como vimos, o JSON consegue armazenar objetos! Podemos inclusive armazenar um objeto do tipo Carro mesmo:

Modificamos o nosso método main:

public class EstudoJSON {
	public static void main(String[] args) throws JSONException {
		adicaoSimplesDeDados();

        adicaoDeUmObjeto();
	}
}

E adicionamos o método adicaoDeUmObjeto():

private static void adicaoDeUmObjeto() throws JSONException {
	Carro carro = new Carro();
	carro.setId(1l);
	carro.setModelo("Celta");
	carro.setPlaca("AAA1234");

	JSONObject carroJson = new JSONObject();
    //Adição do objeto carro
	carroJson.put("Carro", carro);

	System.out.println(carroJson);
}

Neste caso foi impresso no console o seguinte:

{"Carro":"[id=1, modelo=Celta, placa=AAA1234]"}

Simples não?
Como o JSON trabalha com coleção de pares nome/valor, podemos imprimir um valor específico simplesmente chamando o nome que desejamos.

System.out.println(carroJson.get("Modelo"));

Veja que neste caso queremos somente o modelo do carro, bastando fazer a chamada get(“nome que desejamos”)!

Conclusão
É isso pessoal! Vimos as vantagens do JSON e vimos como é simples começar a trabalhar com ele. Nos próximos artigos veremos exemplos mais complexos e veremos algo mais real onde faremos chamadas à API do Facebook!

Você também pode encontrar este código no meu Gist Público.

Abraços!

About these ads

6 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s